fevereiro 07, 2008

Os Nonatos

Depois da pausa para o carnaval, retornamos com 7 faixas em mp3 com os Nonatos.


1. O planeta movido a internet
É escravo da tecnologia

2. Desafio em galope a beira-mar

3. Sextilhas: Eu duvido ter quem veja

4. Deus me ensina a ser bom de coração
E eu aprendo a ser ruim não sei porque

5. Quem se julga de Deus a semelhança
Não é nada com ele parecido

6. Pra quem sente o poder do Criador
Não tem nada maior que a natureza

7. Do que vale ser dono de um diploma
Se não tenho um emprego garantido

http://rapidshare.com/files/90013067/Os_Nonatos.zip.html

Senha para descompactação: cantoriasecordeis

Contado para shows e venda de cds: www.osnonatos.com.br

6 comentários:

Anônimo disse...

Para se estudar atualidade basta escutar os nonatos e aprender suas letras.Essa parêa é show um orgulho do nordeste

monique disse...

Eu sou muito nova,sao apenas 16 anos,quase nenhuma garota da minha idade gosta desse estilo de musica,eu tambem nao gosto,Eu simplesmente AMOOOOO.'Espero um dia assistir um show de voces e de camarote.
Parabéns!!que Deus continue dando inspiraçao a voces .(♥)

samuel oliveira disse...

eu gosto de+ do trabalho desse caras ja era bom quando eles improvizavam e agora com suas musicas ficou de arrebenta

lima disse...

vcs são demais,desde o final dos anos 80 eu nao via uma dupla tão completa,convive minha infância em meio os cantadores do nordeste e confesso que na atualidade não tem melhor,vocês são uma mistura de mestre azulão com vavá machado e marcolino,e o moacir laurentino e sebastião silva,melhorados.parabéns e muito sucesso.manoel lima(jalapão) palmas-tocantins

vicente cesar andrade disse...

O tropeiro é sinônimo no Brasil
De progresso no lombo do animal
Sendo o burro o agente principal
De uma história que sempre existiu
Mas a saga mudou e ninguém viu
E o progresso conduz o pobre a esmo
Nesta lida de pobre e torresmo
Há contentes com planos e migalhas
No Brasil “Só se muda é a cangalha
Mas o burro da estrada é sempre o mesmo”.

A sentença do pobre é decretada
Quando nasce de parto pelo SUS
Sua estrela é opaca e não tem luz
Sua vida é sofrida e explorada
Num cenário de pouco ou quase nada
Há visitas de quatro em quatro anos
Tem discurso fiel e muitos planos
Tem estórias vividas num garimpo
São os ‘deuses’ que descem do Olimpo
A procura de apoio dos humanos.

Autoria: Vicente César Andrade.
Gosto muito de escrever, e os nonatos inspiram à inspiração.

Anônimo disse...

gosto muito desse estilo,tenho 21 anos e vejo que é muito dificil pesoa da minha idade gostar mas eu simplesmente acho o maximo.